Estado contratou 13 625 pessoas. Metade estão nas autarquias locais

13/6/2018

As restrições orçamentais travaram a entrada de pessoas na administração pública nos anos de crise. No último ano e meio foram lançados 5458 destes procedimentos concursais para o preenchimento de 13 652 postos de trabalho. Mais de metade foram para autarquias. A função pública chegou a Março de 2018 com menos 53 406 pessoas do que tinha em 2011. A maior redução, contudo, foi observada em 2015, quando se registou um corte de mais de 70 mil postos de trabalho.


 Portugal 2070: oito milhões de pessoas e menos 28% em horas trabalhadas

13/6/2018

Mulheres viverão, em média, até aos 90 anos (84, actualmente) e homens até aos 86 (78, hoje em dia). De acordo com o novo Relatório do Envelhecimento (Ageing Report 2018), estudo que é publicado de três em três anos, daqui a 50 anos, em 2070, Portugal terá apenas oito milhões de habitantes, menos 23% do que os dez milhões actuais. É um dos maiores recuos em termos europeus, apenas superado por alguns países do Leste e pela Grécia. A população com idade para trabalhar (15 a 64 anos segundo a definição do Eurostat) sofre um tombo ainda maior, superior a 37%. Em 2070, serão apenas 4,2 milhões. Hoje, este grupo ronda 6,7 milhões de pessoas.


Endividamento das empresas e das famílias mantêm-se entre os mais elevados da zona euro

12/6/2018

O Banco de Portugal (BdP) avisou que os rácios de endividamento das empresas e das famílias se mantêm entre os mais elevados da zona euro, num contexto de baixo crescimento potencial. Um agravamento dos custos de financiamento, ainda que gradual e associado a uma recuperação do rendimento, poderá ter efeitos na capacidade de servir a dívida", alerta o BdP no Relatório de Estabilidade Financeira de Junho. No caso dos particulares, refere, tem-se assistido ainda a um "forte crescimento" do crédito ao consumo e das novas operações de crédito à habitação, evidenciando uma menor restritividade nos critérios de concessão de crédito.


Unidade especial do Fisco vai seguir mais grandes contribuintes

12/6/2018

A Unidade dos Grandes Contribuintes vai acompanhar organismos de investimento colectivo supervisionados pela comissão da bolsa e entidades com menos de 100 milhões de euros de volume de negócios supervisionadas pelos reguladores da banca e seguros, segundo uma portaria. O diploma tem efeitos retroactivos a 1 de Janeiro último e altera os critérios, definidos há dois anos, em Maio de 2016, de selecção dos contribuintes cuja situação tributária deve ser acompanhada por aquela unidade. O peso Unidade dos Grandes Contribuintes no total de receitas fiscais cobradas é de 45%, segundo o Governo.


Visa diz que interrupções no serviço resultaram de falha no hardware

11/6/2018

A empresa de serviços de pagamentos Visa explicou que a interrupção no seu serviço ocorrida foi consequência de "um problema de hardware" num dos sistemas europeus. A Visa esclareceu que os serviços já retomaram "a normalidade", estando a operar "com toda a sua capacidade". A empresa garantiu estar a "investigar a causa", de modo a resolver o problema o mais rápido possível. Este incidente está a impediu que algumas transacções da Visa fossem processadas na Europa.

 

 


Portugueses produziram 1,3 quilos de lixo por dia em 2017

11/6/2018

No ano passado o país produziu 4,75 milhões de toneladas de resíduos urbanos, em média 1,3 quilos por pessoa. Segundo o Relatório do Ambiente, a taxa de reciclagem foi de apenas 38% e o aumento do consumo não foi acompanhado por um aumento da separação para reciclagem, uma subida de 2,3% face a 2016. Se é certo que a separação de lixo para reciclagem tem vindo a aumentar, está ainda longe das metas estabelecidas pelo Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos (PERSU 2020). Aí se prevê que até 31 de Dezembro de 2020, seja alcançada uma redução mínima da produção de resíduos por habitante de 10% em peso relativamente ao valor verificado em 2012.

 


Lucro da ANA aumentou 47,8%, para 248,4 milhões em 2017

10/6/2018

A ANA-Aeroportos de Portugal aumentou o seu lucro em 47,8%, para 248,4 milhões de euros no último ano. A gestora dos aeroportos nacionais e que é detida pela Vinci, irá distribuir 980 mil euros pelos seus trabalhadores. Em 2016, a empresa tinha registado lucros de 168 milhões de euros, o que revela um aumento de 80 milhões de euros, em relação ao último ano. A Vinci ganhou o concurso de privatização da ANA em 2013 e desde então a empresa tem visto os seus lucros aumentarem consecutivamente. Dos 18,6 milhões de 2013, passou para 40,9 milhões de euros em 2014 e um ano depois atingiu os três dígitos, com 101 milhões, passando para os já mencionados 168 milhões de euros em 2016. Ou seja, em quatro anos os lucros da ANA subiram 13 vezes.

 


 Dívida pública ultrapassou os 250 mil milhões em Abril

10/6/2018

No que se refere à dívida pública líquida aumentou 2,5 mil milhões para 225 mil milhões de euros. A dívida pública situou-se em 250,1 mil milhões de euros, aumentando 4,2 mil milhões de euros relativamente ao final de Março. Para este aumento contribuiu essencialmente o acréscimo dos títulos de dívida, maioritariamente por via da emissão de obrigações do Tesouro, diz o banco central. Os activos em depósitos das administrações públicas aumentaram 2,5 mil milhões de euros, tendo a dívida pública líquida de depósitos registado um acréscimo de 1,8 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 225,0 mil milhões de euros.

 


 Fisco alarga raio de acção da Unidade de Grandes Contribuintes

9/6/2018

A generalidade das instituições financeiras vai passar a ser acompanhada pela Unidade de Grandes Contribuintes. Até agora, apenas os bancos e sociedades financeiras com um volume de negócios anual superior a um determinado valor (100 milhões de euros, pelo menos) ou que tivessem pago 20 milhões de euros em impostos eram acompanhadas pela Unidade de Grandes Contribuintes, mas o governo retirou estes limites da lei, alargando o raio de acção desta Unidade à generalidade das instituições financeiras.


SEF reforça controlo nos aeroportos no Verão com mais inspectores

9/6/2018

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras vai ser reforçado com 69 inspectores devido à afluência nos aeroportos durante o Verão. Lisboa terá mais 36 inspectores, Porto 16, Faro 13 e as ilhas dois inspectores cada uma. Com este reforço passam a trabalhar no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 212 inspectores afectos ao controlo de fronteira. O controlo dos registos diários - realizado a cada 15 minutos - revela que em mais de 90% dos registos o tempo de espera médio é inferior a 30 minutos. Quanto ao número de passageiros controlados, em igual período, 64% dos passageiros controlados nas chegadas no aeroporto de Lisboa são cidadãos da União Europeia.

 

 


 €158 milhões perdidos por dia na Europa

8/6/2018

Os atrasos nos pagamentos das empresas aos seus clientes e/ou a fornecedores é, ainda, um dos maiores problemas da economia mundial (em particular na Europa), mas o seu impacto económico-financeiro não tem sido fácil de contabilizar. Contudo, agora há um número que ilustra bem a dimensão do problema. “Um dia de atraso nos pagamentos custa, nos 27 países da Europa, €158 milhões só em encargos financeiros. E isto é só 4% a 5% do montante que lhes devem. Na Europa, 39,1% das empresas paga a horas, mas em Portugal, e segundo dados recolhidos em Abril de 2018, apenas 15,2% das empresas cumpre os prazos estabelecidos, que são de 30 dias no sector público e de 60 dias nos restantes. As empresas de alojamento e restauração e ainda as dos transportes são as que mais se atrasam a pagar, ainda que esse atraso seja de até 30 dias e raramente superior a isso.

 


 Inflação na zona euro acelerou em Maio para 1,9%

8/6/2018

A inflação anual da zona euro deverá ter-se fixado nos 1,9% durante o mês de Maio. Os dados do serviço de estatística da União Europeia (UE) prevêem que a taxa de inflação tenha acelerado 0,7 pontos percentuais, ficando acima dos 1,2% registados em Abril. O sector da energia foi o que mais contribuiu para a aceleração da taxa de inflação da zona euro, tendo disparado de 2,6% em Abril para 6,1% em Maio. Também o sector da alimentação, bebidas alcoólicas e tabaco registou uma subida da taxa de inflação de 2,4% em Abril para 2,6% e o sector dos serviços, que se fixou nos 1,6% em comparação com 1,0% em Abril.

 


Taxa de desemprego na zona euro atinge o valor mais baixo desde 2008

7/6/2018

Os dados revelados mostram que entre os 28 Estados-membros da UE, a taxa de desemprego em Abril manteve-se estável nos 7,1% face à registada no mês de Março. Em comparação homóloga, registou-se uma queda de 0,7 pontos percentuais, depois de a taxa de desemprego ter atingido os 7,8% em Maio de 2017, sendo esta a taxa mais baixa registada desde Setembro de 2008. O Eurostat estima que na UE existam 17.462 milhões de homens e mulheres, dos quais 13.880 milhões pertencentes à zona euro. Em comparação com o mês de Março de 2018, o número de pessoas desempregadas diminuiu em 53.000 na UE e 56.000 na zona euro.

 

 


 Parceiros sociais alcançam acordo sobre alterações à lei laboral.

7/6/2018

Os bancos de horas que tenham sido alcançados por acordo individual e que já estejam em vigor vão poder manter-se activos durante pelo menos mais um ano após a entrada em vigor das alterações à lei laboral. A mudança de paradigma dos contratos a termo, na medida em que se reduz de três para dois anos a duração máxima destes contratos, limitando as renovações com a criação de uma regra que impede que a soma dos períodos das renovações possa exceder a duração do contrato inicial.


 

Taxa de desemprego desce para 7,5% em Março

6/6/2018

A taxa de desemprego desceu para 7,5% em Março, atingindo o valor mais baixo desde Abril de 2004, segundo uma revisão em alta divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). No primeiro trimestre, o emprego para o conjunto dos ramos de actividade da economia, corrigido de sazonalidade, registou um crescimento homólogo de 3,1%, 0,1 pontos percentuais inferiores à taxa observada no último trimestre de 2017. Em Março de 2018, o INE estimou cerca de 5,16 milhões de pessoas activas, o que significa que a população activa diminuiu


 Empresas e outras pessoas colectivas vão ter certidão online permanente

6/6/2018

O Governo aprovou a criação de uma certidão online para as pessoas colectivas. Nesta base de dados, gerida pelo Instituto dos Registos e Notariado e na qual se organiza a informação do Registo Nacional de Pessoas Colectivas, consta informação relativa a associações, fundações, sociedades civis e comerciais, cooperativas, empresas públicas, agrupamentos complementares de empresas, agrupamentos europeus de interesse económico. A certidão em papel custa, hoje em dia, 20 euros e tem uma validade máxima de seis meses. A ideia é que as entidades passem a subscrever um serviço que lhes dará acesso à certidão online permanentemente actualizada e que custará 25 por um período mínimo de 1 ano. Uma assinatura por dois anos custará 30 euros e por quatro anos serão 50 euros.


 Portugal tem o gás mais caro e a segunda electricidade mais onerosa da UE

5/6/2018

Portugal sucede à Alemanha nos países da UE em que a electricidade é mais cara, já após a harmonização dos resultados tendo em conta o poder de compra de cada país. Nesta medida, aos portugueses, cada 100 kWh custam em média 28 euros, apenas abaixo dos 28,8 euros da Alemanha. Segue-se a Bélgica, com 26,4 euros. No extremo oposto está a Finlândia, onde os consumidores pagam apenas 13 euros pela mesma quantidade de energia. Portugal consegue o terceiro lugar noutra rubrica, a carga fiscal. A energia nacional é das que mais sente o peso do Estado, que é responsável por 52% do preço das tarifas. A superar Portugal só a Alemanha, com 55%, e a Dinamarca, com 69%. Do outro lado do espectro está Malta, com impostos que não ultrapassam os 5%. A norma europeia aproxima-se mais do volume de Portugal, com a carga fiscal a representar 40% dos custos da electricidade.


Proposta de Bruxelas confirma corte de 7% nos fundos europeus para Portugal

5/6/2018

De acordo com a proposta que publicou as dotações nacionais previstas no orçamento para a política de coesão na UE pós-2020, Portugal receberá 21.171 milhões de euros a preços constantes de 2018 (23.861 milhões a preços correntes, tendo em conta a inflação), o que significa uma redução em torno de 7% relativamente aos fundos destinados ao país ao abrigo da política de coesão para o período 2014-2020 (22,8 mil milhões de euros). Portugal tem ainda assim a quinta dotação mais elevada entre os 27 Estados-membros (já sem Reino Unido) ao nível da política da coesão, apenas atrás de Polónia (64,4 mil milhões de euros), Itália (38,5), Espanha (34) e Roménia (27,2 mil milhões), sendo todavia que países como Espanha e Itália vêem as suas dotações aumentar.


OCDE revê em baixa crescimento económico de Portugal em 2018 e 2019

4/6/2018

A OCDE está menos confiante no desenvolvimento da economia portuguesa. O Economic Outlook de Maio projecta uma subida do PIB de 2,2% tanto em 2018 como em 2019, contra os 2,3% previstos para o mesmo período na edição de Novembro. As tensões geopolíticas e a permeabilidade de Portugal a crises por causa do nível de dívida pública são factores negativos. Esta revisão em baixa da OCDE deve-se essencialmente à conjuntura europeia. Para o conjunto da Zona Euro, a OCDE prevê também um crescimento económico menor: 2,2% em 2018 e 2,1% em 2019. As revisões em baixa verificam-se de forma semelhante em grandes economias europeias como a Alemanha, França ou Itália.


OCDE alerta para impacto negativo das reversões na lei laboral em Portugal

4/6/2018

A OCDE junta-se a outras entidades que pedem um travão às alterações da lei laboral que o Governo está a estudar. A Organização alerta especialmente para o efeito negativo do fim do banco de horas individual. A intenção do banco de horas é aumentar a flexibilidade das empresas para as ajudar exactamente nos ciclos económicos. Para a OCDE "o lento crescimento da produtividade prejudica a sustentabilidade da recuperação", pelo que são necessárias reformas que a promovam, aumentando as qualificações dos trabalhadores, ao invés de se avançar com reversões nas reformas do mercado de trabalho realizadas em 2012.

 


Défice sobe para mais de dois mil milhões com aumento mais forte da despesa

3/6/2018

O Ministério das Finanças anunciou que o défice orçamental das Administrações Públicas, em contabilidade pública, atingiu 2.022 milhões de euros nos primeiros quatro meses do ano, o que representa um agravamento de 165 milhões de euros face ao período homólogo. Este agravamento é explicado por um crescimento da despesa (4,1%) superior ao da receita (3,8%). Segundo as Finanças, os contribuintes receberam mais 563 milhões de euros nos primeiros quatro meses deste ano do que no mesmo período do ano passado. Quanto ao "forte crescimento" de 6,7% das contribuições para a Segurança Social, reflecte o comportamento do mercado de trabalho.


 Cativações ultrapassaram 600 milhões de euros no primeiro trimestre

3/6/2018

O Ministério das Finanças congelou 611,5 milhões de euros em despesa com projectos e com a aquisição de bens e serviços da Administração Central e Segurança Social no primeiro trimestre. O Ministério das Finanças afirma que em Março os cativos incidentes sobre o orçamento de despesa com aquisição de bens e serviços e projectos ascendiam a 611,5 milhões de euros, representando 0,7% do orçamento de despesa da Administração Central e Segurança Social. Segundo as Finanças, os montantes que ficaram congelados no primeiro trimestre são "inferiores em 377 milhões de euros face ao período homólogo, em termos comparáveis.


 Finlândia cessou o acordo fiscal com Portugal

2/6/2018

Parlamento finlandês aprovou a proposta do governo para acabar com o acordo fiscal que tinha com Portugal, desde 1971. Se o Governo português não avançar com a aprovação de um novo acordo até ao fim de 2018, ambos os países passarão a aplicar as suas regras domésticas. Esta proposta permitia aos reformados finlandeses serem beneficiados por um regime de dupla tributação em Portugal. O impacto do fim do acordo nas receitas de pensões, que é onde o impacto seria mais notado, será entre três a seis milhões de euros por ano com base nos dados de 2016.


Municípios terão reforço de 607 milhões

2/6/2018

A reprogramação dos fundos comunitários do Portugal 2020 vai prever um reforço de 607 milhões de euros para investimentos nos territórios, incluindo em escolas e mobilidade. O reforço de dotação para investimentos de base territorial será distribuído, através dos programas operacionais regionais, em 260 milhões de euros para o norte, 203 milhões no centro e 108 milhões para o Alentejo. A região de Lisboa deverá ver reforçada a dotação apenas em 33 milhões de euros, enquanto para o Algarve estão previstos apenas mais três milhões de euros.

 


 Apple é a marca mais valiosa do mundo

1/6/2018

A Apple lidera, pelo oitavo ano consecutivo, o ranking da “Forbes” das marcas mais valiosas do mundo, seguida da Google. Em 2018, o valor da marca da empresa de tecnologia foi de 182,8 mil milhões de dólares, um aumento de 8% face ao ano passado. A Google ocupa o segundo lugar da lista pelo terceiro ano consecutivo, com um valor de 132,1 mil milhões de dólares – mais 30% que em 2017. Em termos de valor, a Apple tem uma vantagem de 38% sobre a Google, que tem vindo a diminuir esta diferença nos últimos anos. O Google é o motor de busca mais usado em todo o mundo, com uma quota de mercado global de 80%.


Excedente da Segurança Social aumentou para 1.652 milhões em 2017

1/6/2018

O excedente da Segurança Social aumentou 564 milhões de euros para 1.652 milhões de euros, apoiado por um aumento da receita superior ao da despesa, que é "essencial" para garantir a sua sustentabilidade. A receita efectiva ajustada da Segurança Social cresceu 3,8%, acima da subida de 2,6% prevista no Orçamento do Estado da Segurança Social (OSS), um resultado que se justifica com a "evolução das contribuições e quotizações, cuja execução provisória excedeu em 330 milhões de euros" a previsão. Por outro lado, a Caixa Geral de Aposentações (CGA) registou um excedente de 73 milhões de euros.


 Megatribunais: investimento deverá custar 275 milhões de euros

31/5/2018

Lisboa, Porto e Coimbra vão ter novos edifícios com o objectivo de melhorar as instalações e cortar nas rendas milionárias. O Ministério da Justiça está disposto a investir perto de 275 milhões de euros durante os próximos 10 anos na reconstrução, remodelação e ampliação dos tribunais de primeira instância. Este valor resulta “de um estudo feito pelo Ministério da Justiça, numa rede de 300 tribunais, composta por 300 edifícios. O Ministério da Justiça revela que anualmente a despesa em arrendamentos ronda os 13 milhões de euros e que só os oito edifícios do Campus da Justiça implicam um encargo anual que ronda os 8,8 milhões de euros.


Brexit tirou 900 libras aos rendimentos das famílias britânicas

31/5/2018

As famílias do Reino Unido perderam 900 libras com os efeitos negativos do Brexit, incluindo a inflação impulsionada pela descida da libra, o baixo investimento e a fraca produtividade. Comparando com as estimativas do banco central realizadas em Maio de 2016 – e que tinham como cenário a manutenção do Reino Unido no bloco regional – o desempenho da economia está 1% abaixo do que era expectável. Entre os efeitos do Brexit, conta-se a inflação impulsionada pela queda da libra, na sequência do referendo, crescimento lento dos salários, fraco desempenho das produtividade e baixo investimento.


 

Estes são os países que têm a gasolina mais cara. Portugal está no top 10

30/5/2018

A verdade é que Portugal está no 10º lugar na lista dos países com os preços mais elevados – o valor médio é de 1,58 euros por litro. A Islândia é o país que ocupa o primeiro lugar da lista, com um preço de 1,81 euros por litro. Grécia, Itália, Hong Kong e Israel também têm preços mais elevados do que Portugal. Em Espanha, o preço médio é de 1.32 euros por litro. A Venezuela e o Irão estão no final da lista, com 0,01 e 0,24 euros por litro, respectivamente.


Número de trabalhadores com contrato colectivo sobe para 821 mil em 2017

30/5/2018

O número de trabalhadores abrangidos por novas convenções colectivas em 2017 aumentou 9,5% face ao ano anterior para 820.883, revela o relatório anual do Centro de Relações Laborais (CRL). No ano passado foram publicadas 208 convenções (acordos colectivos de trabalho, acordos de empresa e contratos colectivos), contra 146 em 2016. Entre as 208 convenções publicadas, 10,6% correspondem a primeiras convenções, 17,8% a revisões globais e as restantes (71,6%) a revisões parciais. Quanto ao horário de trabalho, em 2017, a maioria das convenções (53%) que aborda o tema adopta a duração máxima da jornada semanal (40 horas), mas em linha com o que se verificou em 2016.



Dívida pública começa o ano com o pé esquerdo e aumenta para 126,4% do PIB

29/5/2018

A dívida pública na óptica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, atingiu em Março 126,4% do Produto Interno Bruto (PIB), acima do valor de Dezembro de 2017. Contudo, o valor da dívida das administrações públicas de Março é menor do que o registado no mesmo mês de 2017, quando foi 130,1% do PIB. Ainda de acordo com o Boletim Estatístico do Banco de Portugal, em termos absolutos a dívida pública atingiu os 245,9 mil milhões de euros em Março.


 Endividamento do sector não financeiro da economia desce para 719,7 mil milhões

29/5/2018

O endividamento do sector não financeiro da economia situava-se no final de Março nos 719,7 mil milhões de euros, menos 1,2 mil milhões face ao mês anterior. De acordo com o BdP, em Março, do valor total do endividamento do sector não financeiro, 318,1 mil milhões respeitavam ao sector público e 401,6 mil milhões ao sector privado. O endividamento do sector público registou um aumento de 100 milhões de euros que, segundo o banco central, traduziu-se num acréscimo do endividamento externo e junto das próprias administrações públicas, parcialmente compensado pela redução do financiamento concedido pelo sector financeiro e pelas empresas.


Dívida externa portuguesa pesa 94,1% do PIB

28/5/2018

A dívida externa líquida de Portugal agravou-se no primeiro trimestre de 2018, face aos últimos meses de 2017. No final do mês de Março, a dívida externa portuguesa fixou-se em 183,1 mil milhões de euros, mais 4,6 mil milhões de euros face ao final do ano passado. Assim, neste período, a dívida externa líquida aumentou de 92,5% do Produto Interno Bruto (PIB) para 94,1% do PIB - ou seja, um aumento de 1,6 pontos percentuais. Portugal piorou na resposta às suas responsabilidades financeiras com o exterior. No final de 2017, a PII atingiu -204,1 mil milhões de euros, agravando-se para -207,6 mil milhões de euros no final de Março de 2018, dizem as estatísticas divulgadas esta segunda-feira pelo BdP.


Exportações crescem até Março 4,5% e importações sobem 5,9%

28/5/2018

Nos três primeiros meses do ano a taxa de cobertura das importações pelas exportações de bens e serviços situou-se em 97,5%. Para o mesmo período, as exportações e importações de bens registaram variações homólogas de 3,3% e de 6,7%. O défice da balança de rendimento primário diminuiu 437 milhões de euros para 379 milhões de euros, sobretudo devido à antecipação de rendimentos de investimento recebidos do exterior. Comparando com igual período de 2017, a balança de bens e a balança de serviços tiveram evoluções distintas, com a primeira a aumentar o défice em 627 milhões de euros e a segunda a aumentar o excedente em 341 milhões de euros, essencialmente devido à rubrica de viagens e turismo, cujo saldo passou de 1.270 milhões para 1.583 milhões.

 


Número de desempregados inscritos cai para mínimo de quase 16 anos

27/5/2018

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego baixou 16,6% em Abril, face a igual mês de 2017, para 376.014 pessoas, caindo 4,4% face ao mês anterior, segundo dados hoje divulgados pelo IEFP. A nível regional, comparando com o mês de Abril de 2017, o desemprego registado diminuiu em todas as regiões do país, destacando-se o Algarve com a descida percentual mais acentuada (19,9%), seguindo-se as regiões de Lisboa e Vale do Tejo e do Alentejo (19,0%).


Salários da contratação colectiva sobem 2,6%, maior valor em 8 anos

27/5/2018

A contratação colectiva regressou, mas não tem comparação com o que era antes da troika. Salários negociados subiram 2,6%, ao passo que na economia o avanço médio foi de apenas 1,1% em 2017. A negociação colectiva entre empresas e trabalhadores tende a puxar os salários para cima face à média da economia. Basta ter em conta que a remuneração média bruta por empregado em Portugal subiu apenas 1,1% no ano passado. Há muitos sinais de estagnação salarial na economia, o que puxa a média para baixo.


Défice das contas externas agrava-se para 78 milhões de euros até Março

26/5/2018

O Banco de Portugal refere que no primeiro trimestre do ano o saldo conjunto das balanças corrente e de capital fixou-se em -78 milhões de euros, comparando com -67 milhões de euros em 2017. No entanto, o défice das contas externas melhorou face ao mês anterior: em Fevereiro, o saldo conjunto das balanças corrente e de capital representava 498 milhões de euros, em termos acumulados.


Subvenções a privados valem 5% da despesa pública

26/5/2018

Os principais beneficiários destas subvenções são Instituições Particulares de Solidariedade Social. O Governo gastou 4,231 milhões de euros em subvenções públicas no ano passado, um valor inferior em 1,7 % face a 2016, altura em que os gastos com subvenções públicas tinham subido 20%. As administrações públicas atribuíram, em 2017, menos 71,7 milhões de euros face ao ano anterior.

 


Fim dos contratos de trabalho em papel põe sindicatos e patrões de pé atrás

25/5/2018

O Governo quer "desmaterializar" os contratos de trabalho em papel, substituindo-os por modelos electrónicos. Mas por diferentes motivos a intenção está a criar resistências tanto por parte dos sindicatos como dos patrões. Do documento de propostas do Governo consta "a desmaterialização do contrato de trabalho sujeito a forma especial (contrato a termo e contrato de trabalho temporário), mediante o cumprimento do dever de comunicação através da plataforma da Segurança Social. Esta é apenas uma das 27 medidas de alteração ao Código do Trabalho. A ideia é limitar a duração dos contratos a termo, criar uma taxa para as empresas que a estes mais recorram e acabar com o banco de horas individual.


Lucros da Ryanair chegaram aos 1.450 milhões de euros

25/5/2018

Os lucros da companhia aérea irlandesa Ryanair atingiram 1.450 milhões de euros no último ano fiscal até 31 de Março, 10% mais que no ano anterior. A empresa com sede em Dublin também anunciou que as suas receitas aumentaram 8% para 7.151 milhões de euros, graças, entre outros factores, a um aumento de 9% no tráfego de passageiros, que ultrapassou os 130 milhões/ano. A tarifa aérea média caiu 3%, para 39,40 euros, e empurrou o crescimento do tráfego num ano difícil para a Ryanair, depois de cancelar mais de 20 mil voos como resultado de um erro na distribuição das férias dos pilotos.


Facturas com descrição 'prato do dia' em restaurantes dão direito a multa do Fisco

24/5/2018

O Fisco considera incorrecto, e com motivo para multas, a emissão de facturas simplificadas com a descrição 'prato do dia', 'fruta do dia' ou 'sobremesa do dia', revela uma informação vinculativa da Autoridade Tributária (AT). Tem de separar os pratos das bebidas, e a descrição do serviço prestado aos clientes tem de ser suficientemente precisa para se poder determinar, nomeadamente em sede de inspecção, qual a taxa de IVA aplicável. No caso dos menus, adianta o Fisco, o valor a atribuir a cada parcela do serviço de alimentação e de bebidas não pode ser definido arbitrariamente, mas deve obedecer às regras de repartição do valor tributável pelas diferentes taxas de IVA.


85% das empresas não estão prontas para o novo Regulamento de Protecção de Dados

24/5/2018

A maioria das empresas europeias e dos EUA não está ainda preparada para as novas regras. Neste momento, as empresas britânicas são as mais avançadas, apesar de apenas 55% responder que a 25 de Maio já estará em grande parte ou totalmente conforme com os novos requisitos. Seguem-se a Espanha (54%), a Alemanha (51%) e a Holanda (51%). A Suécia é o país que ainda tem mais a fazer: apenas 33% das empresas suecas estará em grande parte ou completamente conforme as regras do RGDP dentro do prazo. Por outro lado, em toda a Europa, 57% dos indivíduos afirmou que irá tomar medidas contra as empresas que não protegerem devidamente os seus dados pessoais.


Crédito ao consumo. Março regista 2º valor mais elevado de sempre

23/5/2018

No primeiro trimestre, foram concedidos 1,8 mil milhões de euros em crédito ao consumo. É o valor mais elevado desde pelo menos 2012. O crédito ao consumo não pára de crescer. No mês de Março, os portugueses contraíram 659,3 milhões de euros, o segundo valor mensal mais elevado desde 2012, quando começaram os registos. O montante de novos créditos aos consumidores aumentou 10,5% em Março em termos homólogos e 14,7% face ao mês anterior. Do total do crédito ao consumo concedido pelas financeiras em Março, o crédito pessoal foi o que mais subiu, atingindo o total de 299 milhões, o valor mais elevado desde 2012. Em termos homólogos, subiu 14,5%.

 


Número de funcionários públicos cresce 0,8% para 674.379 até Março

23/5/2018

Os dados integram a Síntese Estatística do Emprego Público (SIEP) referente ao primeiro trimestre deste ano, publicada pela Direcção Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP). Em 31 de Março, o emprego na administração pública situava-se em 674.379 postos de trabalho, o que representa um aumento de 0,8% face ao mesmo período de 2017 (mais 5.138 postos de trabalho). O valor da remuneração base média mensal dos trabalhadores da administração pública era de 1.465,7 euros em Janeiro de 2018, correspondendo a uma subida de 0,4% face a Outubro de 2017 e de 0,6% comparando Janeiro de 2017.

 


Inflação na Zona Euro desce para 1,2% e Portugal tem a terceira taxa mais baixa

22/5/2018

O índice de preços no consumidor na Zona Euro aumentou 1,2% em Abril, face ao mesmo mês do ano passado, o que representa um abrandamento na taxa de inflação face aos 1,3% registados em Março. Segundo o gabinete de estatística da Comissão Europeia, os maiores contributos para a taxa de inflação em Abril vieram dos produtos como alimentação, álcool e tabaco, bem como dos serviços e energia. Portugal surge com uma das taxas mais baixas da Zona Euro, já que o índice harmonizado de preços no consumidor (IHPC) cresceu apenas 0,3% em Abril face ao mesmo mês do ano passado.

 


Fisco vai dar 5% das cobranças difíceis ao Fundo de Estabilização Tributário

22/5/2018

Fisco vai encaminhar 5% da receita com as cobranças difíceis recuperadas ao longo de 2017 para o Fundo de Estabilização Tributário (FET). A percentagem […] é fixada em 5 % do montante constante da declaração anual do Director-geral da Autoridade Tributária e Aduaneira de 31 de Janeiro de 2018, relativamente ao ano de 2017, elaborada nos termos do disposto n.º 2 do ponto 1.º da Portaria n.º 132/98, de 4 de Março”, pode ler-se na portaria n.º 139/2018.


97% dos consumidores portugueses dizem que faz sentido reclamar

21/5/2018

Dados mostram ainda que 85% dos consumidores portugueses respondeu que já realizou reclamações e 41% dos que reclamaram (e obtiveram resposta) ficaram satisfeitos com a resolução. A resolução da reclamação pela marca também é factor de influência na decisão da compra. Os entrevistados dão uma média de 7,3 (numa escala de 1 a 10) à influência de reivindicações resolvidas por uma marca no momento da compra. As médias obtidas pelos diferentes segmentos seguem o mesmo padrão.


Taxa de desemprego na OCDE manteve-se em 5,4% pelo 3º mês consecutivo

21/5/2018

A taxa de desemprego nos países desenvolvidos manteve-se estável em Março pelo terceiro mês consecutivo em 5,4% da população activa. No conjunto dos países da OCDE, 34 milhões de pessoas estavam sem emprego em Março, mais 1,4 milhões de pessoas do que em Abril de 2008 e menos 15,1 milhões de pessoas do que em Janeiro de 2013, momento máximo da crise. A taxa de desemprego caiu para 4,6% nos países do G7 em Março, menos uma décima do que em Fevereiro, mas manteve-se tanto na União Europeia (em 7,1%) como na zona euro (8,5%).

 


Portugueses nunca gastaram tanto dinheiro em jogo

20/5/2018

Vencedores não reclamaram 13 milhões de euros entregues pela Santa Casa da Misericórdia.  Em 2017, o jogo movimentou 3.519 milhões de euros, divididos entre raspadinhas e lotaria, máquinas de casino e apostas desportivas online. Os dados revelam um aumento de 11% face a 2016, cujo maior impulso veio dos jogos sociais da Santa Casa da Misericórdia. Ao todo, a Santa Casa da Misericórdia distribuiu 1.838 milhões de euros em 2017. Quanto aos jogos e apostas online, foram gerados 122,5 milhões de euros. Já os casinos geraram 311 milhões de euros em apostas.



Carga fiscal bate recorde histórico de 34,7%

20/5/2018

A carga fiscal atingiu no ano passado o valor mais elevado desde 1995, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE). Entre impostos e contribuições, os portugueses desembolsaram para os cofres do Estado 67 mil milhões de euros, mais 3,34 mil milhões do que em 2016. O crescimento das receitas do IVA e do IRC – ou seja, dos impostos ligados ao consumo e às empresas – em mais de 1,5 mil milhões de euros contribuiu para este aumento da carga fiscal. Tal como, aliás, o aumento das contribuições sociais, na ordem dos mil milhões de euros num único ano. Segundo este organismo, a fiscalidade sobre os salários médios varia de país para país, de um mínimo de 23,4% no Chipre até a um máximo de 57,4% em França.


Multibanco move 315 milhões por dia

19/5/2018

Portugal registou 2541 milhões de operações de pagamento em 2017. A maioria são transferências bancárias. A rede Multibanco fez circular 315 milhões de euros por dia em Portugal, ao longo de 2017, e continua a ser um dos principais meios de pagamentos utilizados no País. Em média, os bancos portugueses processaram diariamente 7,4 milhões de operações através do chamado sistema de compensação – verbas são creditadas numa conta. Feitas as contas, o Banco de Portugal revela que através da rede Multibanco circularam 115 mil milhões de euros em 2017. 7,1% eram referentes a compras, 25,6% a levantamentos e 21,9% de pagamentos de operações processadas através da rede Multibanco (incluindo, por exemplo, pagamentos de serviços e ao Estado).



PIB abranda e atinge 2,1% no primeiro trimestre do ano

19/5/2018

De acordo com o INE, a procura externa líquida registou um contributo mais negativo, "resultado da desaceleração mais acentuada das exportações de bens e serviços" do que a registada nas importações de bens e serviços. O contributo positivo da procura interna estabilizou no primeiro trimestre, verificando-se uma ligeira desaceleração do consumo privado, enquanto o investimento apresentou um crescimento ligeiramente mais acentuado, determinado pelo comportamento da variação de existências, reflectindo o efeito base do contributo negativo verificado no primeiro trimestre de 2017. O Governo estima que a economia portuguesa cresça 2,3% em 2018.




Portugal cresce acima da zona euro, mas ainda há desafios a ultrapassar

18/5/2018


A actividade económica em Portugal cresceu em 2017 a um ritmo “ligeiramente superior” ao da zona euro. O Produto Interno Bruto (PIB) do país subiu 2,7% no ano passado - que compara com 2,5% na zona euro -, embora tenha desacelerado na segunda metade do ano. Per capita, o PIB aumentou 2,9% em território nacional e 2,2% na zona euro. Mas nem todos os desafios estão ultrapassados. “Para que consiga aproximar-se dos níveis de rendimento europeus, é fundamental continuar a assegurar um quadro de estabilidade macroeconómica, promover o crescimento potencial e a produtividade, o que, por sua vez, implica aumentar o investimento de qualidade e o nível de educação da mão-de-obra”.


Imobiliário rende quase 11 vezes mais do que os activos financeiros
18/5/2018


No último ano ouviu-se e leu-se vezes sem conta que Portugal está na moda e que 2017 foi de recordes no imobiliário nacional. Mas que não se pense que somos uma ilha bafejada pela sorte e que todos os investidores vêm cá parar. Investir em imobiliário está na moda em todo o mundo, não é só em Portugal. E há várias razões para isso, como o aumento do crescimento económico global nos últimos três anos, as taxas de juro historicamente baixas e o aumento do turismo.


Malparado nos fundos ultrapassa os €200 milhões
17/5/2018


O Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) tem pelo menos €223 milhões de dívidas por recuperar junto dos empresários e demais promotores públicos e privados que beneficiaram, indevidamente, dos fundos do anterior quadro comunitário para 2017/2013. Este número foi obtido através de uma ronda junto dos principais organismos pagadores de fundos comunitários. Em causa neste ‘malparado’ estão, por exemplo, adiantamentos a empresas que acabaram por fechar portas sem concretizar os investimentos ou devolver os fundos. Em última instância, as dívidas irrecuperáveis terão se ser repostas à custa dos contribuintes via Orçamento do Estado.


Fusões e aquisições de empresas em Portugal caem 87% em Abril
16/5/2018


As fusões e aquisições de empresas no país assinalaram 78 milhões de euros no mês passado e 17 operações, o que representa uma queda significativa. A transacção em destaque no mês passado foi a concretização da venda da BPI Gestão de Activos e da BPI Fundos pelo Banco BPI à CaixaBank Asset Management, por 83 milhões de euros. A assessoria ao negócio, anunciado em Novembro, esteve a cargo da KPMG España e da Cuatrecasas. De Janeiro a Abril de 2018, Portugal teve 90 negócios com um valor superior a 1,8 mil milhões de euros, menos 70,65% do que em igual período do ano passado.


Banca cobra em juros entre nove e 48 vezes mais do que paga pela poupança dos depositantes
16/5/2018


Os bancos cobram nove vezes mais pelos juros do crédito à habitação do que pagam pelas contas poupança e 48 vezes mais pelos juros do crédito ao consumo. Os depósitos a prazo estão a render cada vez menos ao Estado, apesar de ano passado terem rendido 63 milhões de euros, porque a banca cobra em juros entre nove e 48 vezes mais do que paga pela poupança dos seus depositantes. Na prática, com os impostos que existem sobre os depósitos a prazo, em cada 100 euros de rendimento que se coloca no depósito a prazo 28 euros ficam para o Estado, o que leva a que os clientes fiquem menos predispostos a utilizar esses instrumentos financeiros. Só em 2017, foram aplicados cerca de 92 mil milhões de euros em depósitos a prazo a uma taxa média de 0,244%, segundo a mesma fonte.


Número de insolvências aumenta 9,4% até Abril
15/5/2018


Os primeiros quatro meses de 2018 registaram um total de 2.460 acções de insolvência, mais 9,4% que em igual período do ano passado. As declarações de insolvência foram a única acção a registar um crescimento de 27,6% face a 2017, enquanto as declarações de insolvência requeridas caíram 8,7% e as declarações de insolvência apresentadas pelas próprias empresas baixaram 8,3%. Em Abril foram constituídas 3.636 novas empresas, mais 741 que no período homólogo de 2017 (mais 25,6%). O acumulado de 17.009 novas constituições até final de Abril traduz um aumento de 13,6% face a 2017 e de 19,3% em relação a 2016.





Investimento via vistos gold cai 18,4% em Abril para 63,6 milhões de euros
15/5/2018


Face a Março, o investimento caiu 38,4%, segundo os dados estatísticos do SEF. Do total do montante captado em Abril, a maior parte corresponde à aquisição de bens imóveis (54.901.536,14 euros), com a transferência de capital a captar 8.746.047 euros. Em termos acumulados – desde que os vistos ‘gold’ começaram a ser atribuídos, em 08 de Outubro de 2012, até Abril último -, o investimento total captado ascende a 3.768.808.067,63 euros, dos quais 356.433.221,20 euros por transferência de capital e 3.412.374.846,43 euros pela compra de imóveis.


Oferta de emprego na restauração, hotelaria e turismo aumentou 370%
14/5/2018


A categoria ‘Emprego’ do portal OLX cresceu 37% num ano, de acordo com os dados de Abril deste ano face ao mesmo período do ano passado. Já em relação ao início do ano subiu 22% desde o início deste ano. De acordo com as informações do portal, mensalmente, são enviadas cerca de 300 mil candidaturas a anúncios de emprego no portal e 90% têm resposta até sete dias após serem inseridos. O sector de Restauração, Hotelaria e Turismo foi o que registou um maior crescimento na oferta (370%), seguido das áreas de Call Center, Help Desk e Telemarketing (+103%), Transportes e Logísticas (67%), Construção Civil (67%) e Comercial (52%).



Empresas portuguesas cada vez menos dependentes da banca
14/5/2018


Os bancos continuam a ser a principal fonte de financiamento das empresas portuguesas, mas representam uma fatia cada vez menor do total, dado o aumento do financiamento externo e do recurso ao mercado de dívida, de acordo com o Banco de Portugal (BdP). Contudo, apesar de o financiamento através do mercado de dívida se ter tornado proporcionalmente mais relevante na última década em Portugal, num contexto de forte contracção dos empréstimos bancários, o acesso a estes mercados continua a estar disponível apenas para um conjunto muito limitado de empresas.


Exportações e importações a subir até Março
13/5/2018


As exportações de bens aumentaram 2,7% e as importações subiram 6,3% até Março em termos homólogos. A desaceleração das exportações no primeiro trimestre resultou em grande parte da evolução homóloga registada no mês de Março, em que recuaram 5,7%, depois de em Fevereiro terem crescido 5,8%. Em desaceleração no mês de Março estiveram também as importações, que aumentaram 0,1% face aos 8,1% de Fevereiro. Défice da balança comercial foi de 1207 milhões de euros, o que representa um agravamento de 306 milhões.


Taxa de desemprego cai para 7,9%, valor mais baixo de quase uma década
13/5/2018


Há agora 410,1 mil pessoas sem trabalho em Portugal, menos 21,7% face há um ano, refere o INE. Por regiões, o desemprego está mais intenso na Madeira e nos Açores, sendo mais leve no Centro e no Algarve. No 1.º trimestre de 2018, a taxa de desemprego foi superior à média nacional em quatro regiões do país: Região Autónoma da Madeira (9,1%), Região Autónoma dos Açores (8,9%), Área Metropolitana de Lisboa (8,6%) e Norte (8,1%), refere o INE. Abaixo da média nacional, situaram-se as taxas de desemprego do Alentejo (7,8%), do Algarve (7,6%) e do Centro (6,3%).



Estudo ambiental viabiliza novo aeroporto no Montijo

12/5/2018


O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) para o futuro aeroporto do Montijo viabiliza o projecto, mas aponta alguns impactes na fauna e flora locais que a ANA - Aeroportos e Navegação Aérea considera pouco significativos. O projecto enumera as acessibilidades rodoviárias para captação e distribuição de tráfego com ligação à A12 (um conjunto de intervenções que prevêem nós, restabelecimento da via, passagens inferiores e viadutos), sem ignorar o acesso sul/norte do tráfego proveniente da A13 e A33.


Nasceram mais de 17 mil empresas nos primeiros 4 meses de 2018
12/5/2018


Entre Janeiro e Abril de 2018, nasceram 17 002 empresas e outras organizações, mais 13,4% do que no mesmo período de 2017, acentuando-se a dinâmica de nascimentos do ano anterior. Este crescimento deve-se essencialmente à constituição de empresas relacionadas com o Turismo, como os negócios das Actividades Imobiliárias, Construção, Alojamento e Restauração, Serviços e Transportes. Foram registados 4880 encerramentos nos primeiros quatros meses do ano, mantendo-se assim em valores próximos do período homólogo (+1,9%).


Bancos têm 30 dias para substituir cartões de serviços mínimos bancários
11/5/2018


Os bancos vão ter 30 dias para substituírem os cartões de débito das contas de serviços mínimos bancários por novos cartões que permitam o seu uso em qualquer país e pagamentos de baixo valor sem inserção de PIN. Entre as mudanças feitas na legislação está que o "cartão de débito de serviços mínimos bancários não pode ter características específicas que resultem em condições mais restritivas para a sua utilização do que as existentes para os cartões de débito disponibilizados fora do âmbito do presente diploma". No final de 2017, havia mais de 44 mil contas de serviços mínimos bancários.



Bancos consumiram 31,5 mil milhões de capital entre 2008 e 2017

11/5/2018


Em 9 anos, os maiores bancos do sistema consumiram 25,7 mil milhões de euros de entradas de capital (em dinheiro) e 5,8 mil milhões em CoCos (instrumentos de capital contingente emprestado pelo Estado à banca). De 2008 a 2017 houve um esforço de capitalização, registaram-se menos imparidades em 2017 e o rácio de cobertura das mesmas subiram. Os indicadores relativos a 2017 revelam que o capital próprio dos bancos do sistema aumentou desde 2007 para níveis mais confortáveis, os NPL estão a diminuir, o rácio de transformação (crédito sobre depósitos) ficou nos 92,6% em 2017 contra 95,3% em 2016 - era de 160% em 2007. Também o rácio de capital (core tier 1) do sistema melhorou em 2017 para 13,9%.



Reclamações dos clientes bancários subiram 8,1% em 2017, para mais de 15 mil
10/5/2018


Quase um terço das queixas foram relacionadas com contas de depósito à ordem. A instituição que atraiu mais queixas foi o Banco CTT, tanto nas contas à ordem como nos contratos de crédito ao consumo. O número de reclamações dos clientes bancários em Portugal aumentou 8,1% para 15.282 em 2017, ou seja, 1.274 queixas por mês contra instituições de crédito, segundo dados do Banco de Portugal.


IMI a triplicar chegou neste ano a 8239 proprietários
10/5/2018


Deixar uma casa ficar vazia durante mais de um ano ou tê-la em ruínas pode sair caro. Que o digam os 8239 proprietários que neste ano foram chamados a pagar (em Abril) uma factura de IMI a triplicar por terem imóveis naquela situação. Este ano, para o imposto relativo a 2017, foram 54 as autarquias que tomaram esta decisão. O número de contribuintes afectados pelo agravamento do IMI não reflecte o número de imóveis porque um mesmo proprietário pode ter mais do que um prédio devoluto ou em ruínas.


Algarve com o maior número de Bandeiras Azuis
9/5/2018


O Algarve volta a liderar o ranking das regiões com mais bandeiras azuis em Portugal, ao hastear 93 bandeiras, em 89 praias e 4 Marinas (Albufeira, Lagos, Portimão e Vilamoura). Este ano, o Algarve conta ainda com dois Centros Azuis, em Loulé e Faro. Albufeira vê a totalidade das suas praias galardoadas (25) e torna-se o Concelho do país com mais bandeiras azuis. Este ano, a bandeira azul vai ser hasteada em 332 praias (299 costeiras e 33 fluviais) -o que corresponde a mais de metade das praias nacionais-, mais 12 do que em 2017.


Banco de Portugal entrega dividendos recorde ao Estado
9/5/2018


Banco de Portugal teve um lucro de 656 milhões O Banco de Portugal pagou dividendos ao Estado no valor de 525 milhões de euros relativos aos resultados de 2017, mais 173 milhões que no ano passado. A remuneração entregue pela instituição está em linha com a previsão que o Governo tinha para este ano e é a mais elevada de sempre. Incluindo impostos, o banco central contribuiu com 797 milhões de euros para o Estado.


Portugal pode ser o primeiro produtor europeu de lítio
8/5/2018


É no distrito de Boticas, concelho de Vila Real, que existem pelo menos 14 milhões de toneladas de um dos minérios de onde se extrai o lítio. A descoberta foi anunciada por uma empresa britânica. Os 14 milhões de toneladas de minério com 1,1% de óxido de lítio, essencial para fabricar baterias de carros eléctricos, por exemplo, representam mais do dobro da quantidade estimada inicialmente. A descoberta de Trás-os-Montes só é comparável, garantem os responsáveis, às "muito bem-sucedidas" minas australianas, de onde são extraídos os concentrados de espudomena de lítio, muito procurados no mercado internacional.


Inflação homóloga caiu para 0,4% em Abril
8/5/2018


O crescimento dos preços em Portugal abrandou de Março para Abril segundo a primeira estimativa do Instituto Nacional de Estatística. A taxa de inflação recuou de 0,7% em Março para 0,4% em Abril. A variação mensal estimada, pelo INE, “é de 0,7% (em Março o valor definitivo foi de 1,9% e a variação média dos últimos doze meses de 1,1%”. Já a taxa de inflação excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, desceu de 0,8% para 0,2% segundo a estimativa do INE.
Viagens turísticas dos portugueses aumentaram 5% para 21,2 milhões em 2017


Greve na Air France
7/5/2018




Em França, pilotos, tripulantes de bordo e outros trabalhadores da Air France, voltam hoje à greve.


TAP vai duplicar voos de Lisboa a Moscovo
7/5/2018



A TAP anunciou que vai duplicar o número de voos diários para Moscovo, durante o Mundial de futebol, entre junho o julho, no qual a seleção portuguesa integra o grupo B. A transportadora portuguesa precisou que entre 9 de junho e 3 de julho vai disponibilizar 78 voos adicionais para a Rússia


Dois candidatos a presidente nas eleições da RTA
6/5/2018



Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), e João Fernandes, o atual vice-presidente, são os candidatos às eleições para a liderança da RTA a 11 de maio. A escolha é feita por 32 votantes incluindo os 16 presidentes de câmara da região, um elemento da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional, um representante da UGT e outro da CGTP e 13 associações empresariais


Projeto Millennials quer dinamizar arrendamento
6/5/2018



Millennials é um projeto que visa criar uma rede de imóveis e serviços com o objetivo de dinamizar o arrendamento de longa duração, sobretudo de jovens e profissionais deslocados, é um serviço que pretende dinamizar o arrendamento a longo prazo nos Açores, sobretudo para jovens ou profissionais deslocados, servindo de facilitador na relação entre proprietários e rendeiros.


Menos comboios turísticos
5/5/2018


A CP vai diminuir a oferta de comboios turísticos durante o próximo Verão, depois do sucesso que se revelou a aposta que foi feita nestas viagens no ano passado, a empresa alega agora que a greve dos funcionários da manutenção veio condicionar o arranjo das composições que são históricas


TAP oferece viagem à Madeira a 18 mães do continente
5/5/2018


Para assinalar o Dia da Mãe, a TAP ofereceu uma viagem à Madeira a dezoito mães do continente e respetivas famílias. Esta foi para muitos uma oportunidade para conhecer a Madeira e os bebés fizeram quase todos o batismo de voo


Inflação homóloga caiu para 0,4% em Abril
4/5/2018


O crescimento dos preços em Portugal abrandou de Março para Abril segundo a primeira estimativa do Instituto Nacional de Estatística. A taxa de inflação recuou de 0,7% em Março para 0,4% em Abril. A variação mensal estimada, pelo INE, “é de 0,7% (em Março o valor definitivo foi de 1,9% e a variação média dos últimos doze meses de 1,1%”. Já a taxa de inflação excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, desceu de 0,8% para 0,2% segundo a estimativa do INE.


Desemprego desce para 7,6%, o valor mais baixo desde 2004
4/5/2018


A taxa de desemprego registada em Portugal caiu em Fevereiro para 7,6%, o valor mais baixo desde Abril de 2004. O Instituto Nacional de Estatística (INE) estima nova descida para 7,4% para o mês de Março. O valor definitivo apurado para Fevereiro representa uma descida em 0,3 pontos percentuais face ao mês anterior, menos 0,5 pontos percentuais em relação a três meses antes e menos 2,3 pontos percentuais face ao mesmo mês de 2017, sinaliza o INE. A estimativa provisória da população desempregada de Março foi de 381,2 mil pessoas, tendo diminuído 3,5% (13,9 mil) em relação ao mês anterior (Fevereiro de 2018).


Condutores pagam mais de seis milhões por mês em multas
3/5/2018


Autoridades estão a cobrar multas do Código da Estrada a um dos ritmos mais elevados de sempre. Os condutores pagaram 18,8 milhões euros em multas de trânsito entre Janeiro e Março deste ano, com as contra-ordenações na estrada custaram aos automobilistas mais de seis milhões de euros por mês. O ritmo da cobrança destas multas deverá ainda acelerar nos próximos meses se o Governo quiser alcançar a meta de receitas inscrita no Orçamento do Estado para este ano, de 96,4 milhões de euros, um valor recorde. Se isso acontecer, os automobilistas serão chamados a pagar 195 euros por minuto em multas pelas infracções na estrada até ao final de 2018.


Cobrança de impostos leva 105 milhões por dia
3/5/2018


O Estado continua a cobrar impostos ao ritmo frenético de 105,7 milhões de euros por dia. Passados três meses desde o início do ano, os cofres públicos já arrecadaram mais de 9,5 mil milhões, uma subida da receita fiscal líquida de 6% face ao primeiro trimestre de 2017 e um contributo fundamental para que o défice se mantenha nos 377 milhões, revela a execução orçamental do mês de Março. Todos os impostos dão mais receita, mesmo com uma diminuição de 2% da cobrança bruta voluntária de IRS decorrente da aplicação das novas tabelas de retenção.


Estado arrecadou mais 537 milhões de euros em impostos
2/5/2018


O Estado cobrou mais 537 milhões de euros em impostos em Março, um aumento de 6% (em Fevereiro foi de 8,1%) face ao período homólogo do ano passado. Nos três primeiros meses, a receita fiscal ultrapassou os 9,5 mil milhões de euros, numa evolução explicada pela menor cobrança de IRS e IRC, e que continua a ser suportada pelo aumento da receita de impostos indirectos, nomeadamente do IVA. De acordo com a execução orçamental de Março, a receita de impostos directos aumentou 2,6% (crescimento tinha sido de 6,9% em Fevereiro) para 3,5 mil milhões de euros. A receita com impostos indirectos aumentou 8%, praticamente no mesmo nível dos 8,8% registados até Fevereiro, tendo entrado nos cofres do Estado mais de seis mil milhões de euros.



Portugal com 16.ª carga fiscal mais alta da OCDE
2/5/2018


Portugal melhorou a posição no ranking de países da OCDE com maior carga fiscal sobre o trabalhador, mas está ainda entre aqueles onde a tributação do trabalho mais cresceu, e se manteve, no período após a crise de dívida europeia. A carga fiscal média sobre o trabalhador solteiro português foi, no ano passado, de 27,5%, a 16.ª mais elevada das economias ocidentais, segundo dados da organização divulgados ontem. No ano anterior, o país estava no 15.º lugar, com uma carga fiscal de 27,75% para o mesmo tipo de contribuinte. A carga fiscal total sobre o trabalho (incluindo as contribuições dos empregadores para a Segurança Social) baixou para 41,4% (13.º lugar).


Corrupção não pára. Mesmo com multas de 9 mil milhões de euros
1/5/2018


No estudo deste ano da EY, é possível constatar que, apesar dos reguladores e de as agências de aplicação da lei terem cobrado, globalmente, mais de 11 mil milhões de dólares (cerca de nove mil milhões de euros ao câmbio actual) em sanções financeiras desde 2012, 38% dos executivos mundiais ainda acreditam que o suborno e as práticas de corrupção continuam a ser predominantes nos negócios. Em Portugal, este dado é ainda mais preocupante, com 46% dos inquiridos a afirmarem que as práticas de suborno/corrupção nos negócios acontecem de forma abrangente.



IGCP diz que dívida directa do Estado subiu em Março para 129,4% do PIB
1/5/2018


Segundo o IGCP – Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública, a dívida Directa do Estado em Março de 2018, totalizava 241,1 mil milhões de euros (124,9% do PIB), o que representa um aumento de 0,3% face ao final do mês anterior e um aumento de 0,4% face ao período homólogo. Já o Eurostat (gabinete estatístico europeu) divulgou que, em Portugal, a Dívida Pública em percentagem do PIB situou-se em 125,7% (130,5% no 3º trimestre de 2017 e 129,9% no 4º trimestre de 2016) e está entre os que se destacaram com maiores rácios de Dívida Pública (em percentagem do PIB).



Portugal e Grécia são os que mais se desviam do tecto do défice de 3%
30/4/2018


Portugal e a Grécia foram os países que, desde finais da década de 90, mais se desviaram da meta do Pacto de Estabilidade que impõe um limite máximo para o défice público de 3% do produto interno bruto (PIB), indicam dados actualizados do Eurostat. Portugal aparece com um desvio anual médio de 2% do PIB. Mesmo assumindo que o défice de 2017 é 0,9%. Portugal registou segundo maior défice da Europa, tendo agravado a marca face a 2016 (2% do PIB). Do lado oposto, Malta tem o maior excedente das contas públicas (3,9% do PIB) e logo a seguir aparecem Chipre (1,8%) e República Checa (1,6%).


Portugal é o 9º maior exportador mundial de vinho
30/4/2018


Trezentos mil hectolitros separaram, em 2017, Portugal dos Estados Unidos, que ocupam a 8ª posição. Portugal manteve, em 2017, o lugar de 9º maior exportador de vinho do mundo, mas reduziu a distância para o 8º no pódio: os Estados Unidos reduziram a sua quota no comércio mundial, passando de 3,8 para 3,3 milhões de hectolitros as suas exportações, enquanto Portugal reforçou as vendas, que cresceram de 2,8 milhões de hectolitros para três milhões.


Mais de 61 mil multas prescreveram em 2017
29/4/2018


De 2016 para 2017, o número de multas prescritas pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) praticamente duplicou. Segundo os dados do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), de 31845 autos que não foram cobrados há dois anos, o número passou para 61776 no ano passado (mais 94%). O último ano fica também marcado pela quebra dos autos registados e do número de multas cobradas


Apesar dos €44 mil milhões de fundos europeus, Portugal está cada vez mais longe da União Europeia
29/4/2018


Comparando o ponto de partida (2000) com o ponto de chegada (2016), todas as regiões pioraram, com excepção dos Açores. Regiões portuguesas divergiram, apesar dos €7 milhões que a política de coesão lhes deu por dia desde 2000. Não é por falta de fundos comunitários que Portugal tem empobrecido face à média da União Europeia (UE) durante o século XXI. A generalidade do território nacional acabou por divergir, em vez de convergir, com o PIB per capita em paridade de poder de compra da UE.


Agência DBRS sobe rating atribuído a Portugal
28/4/2018


A agência de notação financeira DBRS melhorou o rating atribuído a Portugal de BBB (baixo) para BBB, com perspectiva estável. A DBRS recorda que, depois de estabilizar em torno dos 130% entre 2014 e 2016, a dívida pública em percentagem do PIB caiu para 125,7% e "projecta-se que continue a cair", ao mesmo tempo que a "disciplina orçamental" se manteve, a economia cresce "a bom ritmo" e que o crédito não performativo (NPL, na sigla em inglês) desce. A agência admite que o rating atribuído a Portugal pode ser revisto em alta.



Ainda não foi desta que a Moody’s decidiu tirar Portugal do lixo
28/4/2018


Depois de, a 5 de Julho de 2011, a Moody’s ter classificado de lixo a dívida soberana de longo prazo de Portugal, ao colocá-la num grau de investimento especulativo, as expectativas apontavam para que a agência de rating revisse em alta a notação portuguesa, que regressaria assim a um patamar de investimento de qualidade. A Moody’s continua, assim, a ser a única agência de notação financeira que ainda não considera a dívida de Portugal como um investimento de qualidade.


Portugal aumentou produtividade ao mesmo tempo que baixou os salários
27/4/2018


Novos dados avançados pelo Instituto Sindical Europeu (ETUI) e pela Confederação Europeia de Sindicatos (CES) mostram que os aumentos salariais na União Europeia ao longo dos últimos 16 anos (entre 2000 e 2016, mais propriamente) teriam sido quatro vezes maiores se tivessem reflectido plenamente os aumentos de produtividade. Mas este valor tem a ver com a média europeia. É que, no caso de Portugal, a diferença entre produtividade e aumento dos salários é bem maior. Desde logo porque, segundo os dados coligidos por aquela organização, não houve qualquer aumento salarial em Portugal, em média. Pelo contrário, os salários sofreram uma redução da ordem dos 3%, para um aumento da produtividade de 10%.


TAP já encomendou 71 aviões, com um valor de mercado de 10 mil milhões euros
27/4/2018


A renovação da frota passou de uma encomenda de 53 novos aviões à construtura aeronáutica europeia Airbus, no final de 2015, para os 71 actuais, num reforço de investimento significativo. A preços de mercado, divulgados no início deste ano pela própria Airbus, o custo total dos aviões encomendados pela TAP ascende a quase 10 mil milhões de euros – mais exactamente, 9.970,2 milhões. É importante referir que estes são preços de referência, que podem ser reduzidos em função do número de aviões encomendados, de opções posteriores de novas compras por parte da TAP que ainda não são conhecidas ou de condições de pagamento mais vantajosas para a Airbus.


Portugal em risco de catástrofes iguais ou piores a 2017
26/4/2018


O risco de incêndios catastróficos iguais ou piores aos de 2017 é real e tem tendência para aumentar, alertaram peritos norte-americanos que defendem que "não há tempo a perder" em Portugal. O pior cenário antevisto no relatório apresentado hoje no Instituto Superior de Agronomia, em Lisboa, é claro: "sem uma intervenção séria e imediata, Portugal pode esperar uma situação pior do que em 2017". Até 750.000 hectares podem arder. Os meios de combate nacionais entrariam em colapso. Só uma intervenção internacional em massa consegue conter as chamas


Queixas na saúde subiram 18,4% em 2017
26/4/2018


O regulador do sector da saúde recebeu em média 192 queixas por dia dos utentes relativas a prestadores públicos e privados. A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) recebeu 70.111 reclamações em 2017 relativas a prestadores de saúde públicos e privados, um crescimento de 18,4% face ao ano anterior. Os temas que mais originaram queixas foram: os procedimentos administrativos (20,3%), os tempos de espera (19,5%) e as questões relacionadas com a focalização no utente (17%),


Inscritos nos centros de emprego abaixo dos 400 mil pela primeira vez em 10 anos
25/4/2018


O número de desempregados inscritos nos centros de emprego baixou 16,6% em Fevereiro, face a igual mês de 2017, para 393.335 pessoas, caindo 2,8% face ao mês anterior. A nível regional, comparando com o mês de Março de 2017, o desemprego registado diminuiu em todas as regiões do país, destacando-se o Algarve com a descida percentual mais acentuada (-19,7%), seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo (-17,6%). No que respeita à actividade económica de origem do desemprego, 69,6% do total tinham trabalhado em actividades do sector dos serviços, com destaque para as “Actividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio” (25,6%).



Portugal investe 8 milhões em estradas inteligentes
25/4/2018


Carros, camiões e autocarros conectados e com tecnologia de condução autónoma vão começar a circular nas estradas portuguesas já a partir do próximo ano. Portugal, para isso, irá investir 8,35 milhões de euros até final de 2020 para pôr os veículos na estrada a comunicar entre si e com a infra-estrutura. Com o apoio financeiro de Bruxelas, em 50%, o projecto de estradas inteligentes C-Roads vai funcionar em praticamente mil quilómetros da rede viária portuguesa. Acabar com os mortos nas estradas até 2050, reduzir as filas de trânsito e diminuir as emissões do transporte rodoviário são os principais objectivos desta iniciativa.


Endividamento da economia sobe mais de 5 mil milhões este ano
24/4/2018


O endividamento do sector não financeiro atingiu 720,9 mil milhões de euros em Fevereiro, no segundo mês seguido de aumentos. Em Dezembro, o endividamento da economia portuguesa situava-se em 715,8 mil milhões de euros, um valor que correspondia a 370,8% do PIB, abaixo dos 382,4 mil milhões de euros do final de 2016. Em Janeiro deste ano aumentou 3,1 mil milhões de euros e em Fevereiro subiu 2 mil milhões de euros. A redução do endividamento das empresas privadas foi de 600 milhões de euros, sendo que "este decréscimo traduziu-se, sobretudo, na diminuição do endividamento externo em 800 milhões de euros, parcialmente compensada pelo aumento do endividamento face ao sector financeiro.



Portugal tem a terceira dívida total do Estado mais alta do mundo
24/4/2018


O Estado português tem a terceira dívida pública mais elevada do Mundo quando, além do endividamento ‘normal´, se contabiliza o valor actualizado do aumento esperado na despesa com pensões e cuidados de saúde entre 2017 e 2050. Pelas contas do Fundo Monetário Internacional (FMI), divulgadas no relatório sobre política orçamental Fiscal Monitor, é um peso superior a 200% do PIB que só fica atrás de dois países: Japão e EUA. O grosso desta dívida total corresponde à dívida pública propriamente que, no ano passado, fechou em 125,7%. A maior parte do resto da dívida – quase 75% do PIB - está associada ao aumento esperado na despesa com saúde. Já a parcela associada às pensões é de menor dimensão e ronda 10% do PIB.


Esforço de Portugal para pagar a credores é dos maiores entre 52 países
23/4/2018


Mesmo com um défice público relativamente pequeno e a descer nos próximos anos, Portugal é, num grupo de 52 países analisados pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), das economias com maiores necessidades de financiamento em proporção do produto interno bruto (PIB). Assim é, porque a dívida é realmente um enorme problema. Portugal, mostra um novo estudo do FMI, tem das maiores taxas de esforço no pagamento de dívida aos credores nos próximos dois anos (2018 e 2019).



26,4% do PIB é para pagar credores
23/4/2018


Neste ano e no próximo, os contribuintes portugueses terão de dedicar o equivalente a 26,4% do PIB para pagar aos credores da República, para, no fundo, amortizar à dívida que vai vencer. Convertendo em euros (assumindo o PIB previsto pelo próprio FMI), significa que os credores têm a receber 25,5 mil milhões de euros este ano e 28,4 mil milhões em 2019. Total: 53,9 mil milhões de euros em dois anos. Além disto, Portugal tem de financiar o défice destes dois anos (1% em 2018 e 0,9% no ano que vem).


Portugal paga a segunda electricidade mais cara da Europa
22/4/2018


Portugal terminou 2017 com a medalha de prata... no pódio dos países europeus onde a electricidade é mais cara. No último trimestre do ano passado o mercado português teve um preço médio de 61 euros por megawatt hora (MWh) no custo grossista da energia. O preço grossista em Portugal foi o segundo mais alto da Europa, juntamente com o da Grécia, e apenas atrás do valor médio de 62 euros por MWh que se registou em Itália. Os preços de mercado mais baixos do último trimestre de 2017 foram registados na Dinamarca e na Suécia (31 euros por MWh), segundo um relatório agora divulgado pela Comissão Europeia.



Crise tirou a Portugal 290 mil empregos
22/4/2018


Portugal tinha, no final do último ano, menos 290 mil trabalhadores do que em 2008. Chegou a ter menos 607 mil trabalhadores em 2013, no pico da crise. Os números têm por base as estatísticas anuais do inquérito ao emprego, divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e já acautelam a correcção do efeito gerado pela alteração da metodologia do inquérito ao emprego e respectiva quebra de série estatística. A população activa potencial do país (calculada a partir da soma da população activa e dos inactivos com idade para trabalhar, dos 15 aos 64 anos) tem vindo a diminuir. Nos últimos seis anos reduziu 4,8%, num total que ronda os 354 mil trabalhadores.


Crédito ao consumo dispara
21/4/2018


O crédito ao consumo aumentou em Fevereiro 16,4% face a igual mês do ano passado, para 573 milhões de euros. Segundo dados provisórios do Banco de Portugal facultados todos os meses revelam que de Janeiro para Fevereiro do corrente ano a tendência é de subida. O crédito ao consumo aumentou neste período 1,7%. O crédito pessoal (financiamento sem finalidade especifica) cresceu 15% em Fevereiro de 2018 face a igual período de 2017. O número de novos créditos ao consumo subiu 7,2% para 124 mil com destaque para o crédito automóvel e consumo pessoal. Com um crescimento no número de contratos do crédito pessoal de 15%. Já o número de contratos para o crédito automóvel subiu 18%.



Inflação na Zona Euro revista em baixa para 1,3%
21/4/2018


O crescimento dos preços na Zona Euro acelerou menos do que era esperado em Março. Segundo os dados revelados pelo Eurostat, a taxa de inflação fixou-se no mês passado em 1,3%, abaixo dos 1,4% estimados pelo gabinete estatístico da UE no passado dia 4 de Abril. Já na União Europeia, a taxa de inflação subiu de 1,4% em Fevereiro para 1,5% em Março. Os dados do Eurostat mostram que as taxas mais baixas foram verificadas em Chipre (-0,4%), Grécia (0,2%) e Dinamarca (0,4%) enquanto as mais elevadas registaram-se na Roménia (4%), Estónia (2,9%), Eslováquia e Lituânia (2,5%).



Taxa de Turística gera 18,5 milhões de euros à Câmara de Lisboa
20/4/2018


primeiro ano em que a Taxa Municipal Turística em Lisboa foi cobrada a todos os operadores envolvidos, incluindo hotéis e alojamento local, rendeu à Câmara Municipal 18,5 milhões de euros. Entre 2016 e 2017, o valor subiu 6,1 milhões de euros, mais do que estava estimado no orçamento feito pela câmara que estimava arrecadar 15,7 milhões de euros. Sobre a possibilidade de estender a taxa às chegadas via aérea e marítima, que está prevista na proposta da Taxa Municipal Turística, mas que ainda não entrou em funcionamento, a questão está a ser equacionada.



Roubos de electricidade custam 70 milhões à EDP
20/4/2018


Operador da rede de distribuição de energia eléctrica identificou 56 mil potenciais fraudes em 2017. Multas ascendem a quase 4000 euros para particulares e 45 mil para empresas. Ligações abusivas, viciação dos contadores ou manipulação da potência contratada são identificadas como as técnicas mais usadas pelos consumidores para furtar electricidade. Com 47 pontos de controlo implementados na rede, em 2016 foram feitas 30163 inspecções de instalações, em que foram levantados 4636 casos de fraude, correspondentes a uma valorização total de 4,8 milhões de euros.



Exportações crescem 6,2% e importações aumentam 8,5% em Fevereiro

19/4/2018


Os dados divulgados nas Estatísticas do Comércio Internacional, publicadas pelo Instituto Nacional de Estatística, referem ainda que o défice da balança comercial de bens foi de 991 milhões de euros em Fevereiro de 2018, mais 170 milhões de euros que no mês homólogo de 2017. A beneficiar o aumento de 6,2% das exportações esteve a subida de 10,3% registada no Comércio Intra-UE (com mais 11,0% em Janeiro de 2018), dado que as exportações para os países Extra-UE registaram uma diminuição de 6,1% (superior em 6,8% em Janeiro de 2018). O défice da balança comercial de bens foi de 991 milhões de euros em Fevereiro de 2018, mais 170 milhões de euros que no mês homólogo de 2017.



Vistos gold. Investimento cai 46% em Março para €103,3 milhões
19/4/2018


Em termos acumulados, desde a sua criação até Março, foram concedidos 5.716 vistos pelo requisito da aquisição de bens imóveis, 324 por transferência de capital, e 10 pela criação de pelo menos 10 postos de trabalho. Em Março, o investimento resultante da Autorização de Residência para a actividade de Investimento (ARI), como também são conhecidos os vistos 'gold', atingiu os 103.343.928,34 euros, menos 46% do que em igual mês do ano passado (192.493.840,26 euros). No mês passado foram atribuídos 174 vistos, dos quais 163 por via do critério de aquisição de bens imóveis. Do total destes últimos, 23 foram concedidos através de compra de imóveis para reabilitação urbana.




IEFP lança novo portal de emprego e formação
18/4/2018


O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) tem um novo portal de emprego e formação, o ‘iefponline’. O novo site terá uma navegação mais “simples e funcional”, bem como uma imagem mais moderna e apelativa. A partir do novo site, todos os inscritos do IEFP poderão continuar a aceder aos serviços já existentes no ‘NetEmprego’, bem como a novas funcionalidades. Até Outubro, qualquer utente do IEFP poderá aceder ao novo portal com os dados (nome de utilizador e palavra-passe) do portal ‘NetEmprego’. Mas, “por segurança’, o inicio de sessão no ‘iefponline’ vai passar a ser feito através de uma chave móvel digital ou do número de Segurança Social.



Comércio electrónico cresce 12,5% em 2017

18/4/2018


Segundo dados da E-commerce Foundation, o volume de vendas realizadas na internet em 2017 cresceu 12,5% em Portugal para €4,73 mil milhões. Neste momento, diz a consultora imobiliária Worx num estudo que cita os dados da E-Commerce Foundation, dois em cada três portugueses fazem compras online. No Reino Unido, o volume de vendas atingiu os €197 mil milhões em 2016, estabelecendo-se como o maior da Europa. Seguiu-se a Alemanha com €86 mil milhões e depois França com €82 mil milhões.


Nascem por dia 145 empresas
17/4/2018


Nos primeiros três meses de 2018 nasceram 13 080 empresas, uma subida homóloga de 8%. Em média, foram criadas 145 empresas por dia. Em termos sectoriais, o barómetro destaca o dinamismo que marca em especial o universo dos serviços, imobiliário, transportes e alojamento/restauração. Nos serviços foram criadas mais 4288 empresas, seguindo-se o retalho (1616) e do alojamento e restauração (1532).




Encerraram 42 empresas por dia
17/4/2018


O registo é de 3805 encerramentos, o que traduz uma redução homóloga de 3,3% (8% em base anual). A média diária está nos 42. A maior mortalidade atinge os negócios em que se verificam mais nascimentos; serviços (939), retalho (683) e alojamento e restauração (445). Nas novas insolvências (675), o ritmo de descida iniciado em 2013 manteve-se no primeiro trimestre, mas a evolução depende dos sectores de actividade. No conjunto, os novos processos registam uma redução homóloga de 12%. A indústria transformadora, com 148 novos processos de insolvência lidera a lista, seguida do retalho (109) e construção (101).



TAP com lucros de 100 milhões
16/4/2018

 

A TAP EM 2017 teve lucros superiores a 100 milhões de euros, uma subida de quase 200 por cento em relativamente ao ano anterior. A companhia aérea transportou mais de 14 milhões de passageiros no ano passado, o que ajudou às contas do grupo. A TAP SGPS passou de prejuízos de quase 28 milhões de lucros para mais de 21 milhões



Airbnb/2017: Lisboa "ganhou" 3,8 milhões de euros em taxa turística
16/4/2018


A Airbnb divulgou ter entregue às autoridades de Lisboa 3,8 milhões de euros relativos à taxa turística cobrada durante 2017. Este é o segundo ano em que a Airbnb remete à cidade de Lisboa o valor da taxa turística cobrada, em nome dos seus anfitriões, aos hóspedes que frequentam os alojamentos anunciados na plataforma, o que eleva para quase seis milhões de euros o valor total entregue pela Airbnb relativo à taxa turística



Turismo cria fundo de capital de risco
15/4/2018



O fundo foi criado ainda em 2017 junto da Portugal Ventures.

O sector do turismo vai assim poder contar com mais 15 milhões, através de um novo fundo de capital de risco. Designado Turismo Crescimento.



NAV acusa TAP de desconhecimento e garante que existe capacidade de resposta

15/ 04/208

A Navegação Aérea de Portugal (NAV) garantiu que "existe capacidade instalada suficiente" para responder à procura de tráfego aéreo em qualquer um dos aeroportos nacionais, acusando o presidente executivo da TAP de "desconhecimento da matéria"


Novo Banco vai fechar mais 73 agências este ano
14/4/2018

O Novo Banco quer fechar 73 agências este ano, antecipando a meta negociada com Bruxelas.

Já era conhecido que o Novo Banco quer que saiam este ano mais de 400, seja em rescisões por mútuo acordo, seja em reformas antecipadas, tendo já provisionado 134 milhões de euros para esse processo.



A reabilitação urbana tem benefícios fiscais

14/4/2018


Há vários incentivos ou benefícios para quem pretende reabilitar uma casa num centro urbano. Estas condições variam consoante as cidades, sendo que Lisboa e Porto, por exemplo, têm um programa próprio destinado à reabilitação.

De acordo com o plano estratégico para a reabilitação urbana até 2024 da Câmara Municipal de Lisboa estes apoios tem fundamento porque "em Lisboa existe um elevado número de edifícios e fogos devolutos".

Foi incluído um conjunto de benefícios no Orçamento do Estado 2018 que pretendem uma intervenção mais ativa por parte dos contribuintes neste processo.



Bancos ‘limpam’ 9,3 mil milhões de euros
13/4/2018


CGD, BCP e Novo Banco têm 26 mil milhões de crédito problemático. As instituições financeiras ‘limparam’ do balanço 9,3 mil milhões de euros de financiamentos de cobrança duvidosa em 2017, revelam dados do Banco de Portugal. Os bancos presentes em Portugal reduziram a carteira de crédito em incumprimento em 2,7 mil milhões de euros - "a maior redução trimestral" desde Dezembro de 2015, altura em que a Autoridade Bancária Europeia impôs este critério de avaliação. A CGD contabilizou 2383 milhões de euros de imparidade, tem o maior volume de financiamentos de cobrança duvidosa: 9,7 mil milhões. Segue-se-lhe o Novo Banco, que contava com 9,6 mil milhões de créditos duvidosos no balanço. O BCP contabilizava 6,5 mil milhões.



União a nível europeu aumenta pressão e faz Ryanair tremer
13/4/2018


A greve dos tripulantes de cabine da Ryanair trouxe a certeza de que ou a companhia aplica a lei nacional aos trabalhadores das bases em Portugal ou a paralisação se torna generalizada. A greve ficou ainda marcada pelo parecer da Associação Europeia dos Tripulantes de Cabine que condena expressamente o recurso a trabalhadores estrangeiros e a voluntários. A questão da legislação aplicada e das más condições de trabalho tem ganho destaque ao longo dos últimos anos. Já em 2013, a companhia tinha sido condenada a pagar dez milhões de euros por violar leis laborais. Neste caso, a transportadora aérea enfrentava várias acusações pela sua operação em França.


Mercado de trabalho em Portugal: nem tudo são boas notícias e o Financial Times explica porquê
12/4/2018


O “Financial Times” analisou o mercado de trabalho em Portugal e tirou duas conclusões pouco animadoras: o número total de horas trabalhadas em 2017 foi 7% inferior em comparação com 2007 e o número de empregos diminuiu cerca de 5%. As ligações entre estes números estão relacionadas com a emigração massiva e um decréscimo na imigração. Entre 2008 e 2016 cerca de 340 mil pessoas saíram de Portugal das quais 320 mil eram de nacionalidade portuguesa tendo regressado 220 mil, sendo 120 mil portuguesas. Centenas de milhares de portugueses desempregados saíram para várias partes da União Europeia, para encontrar trabalho, com especial destaque para a Alemanha e Reino Unido.



Gastos da Segurança Social sobem mesmo com maior controlo das ‘baixas’
12/4/2018


As despesas da Segurança Social aumentaram em 2017 para 511,2 milhões de euros, apesar de se ter assistido a um maior controlo das ‘baixas’ médicas. No ano passado, os serviços desta entidade organizaram 299.956 de exames de verificação dos beneficiários dos subsídios de doença, mais 10% do que em 2016 e mais 30% quando comparado com 2015. Em Maio de 2016, o Governo comprometeu-se a diminuir em 60 milhões de euros os encargos com o subsídio de doença.


Preços na produção industrial sobem em Fevereiro na zona euro
11/4/2018


Os preços na produção industrial aumentaram, em Fevereiro, na comparação homóloga 1,6% na zona euro e 1,8% na União Europeia (UE), segundo o Eurostat. Na comparação homóloga, as maiores subidas dos preços na produção industrial registaram-se na Estónia (5,4%), na Bulgária (4,4%), na Letónia (3,8%) e na Hungria (3,6%) e as principais quebras no Luxemburgo (-2,0%), na Grécia (-0,7%), na Irlanda e em Chipre (-0,6% cada). Em Portugal, o indicador progrediu 0,7% face a Fevereiro de 2017 e recuou 0,5% na comparação com Janeiro.


Vendas a retalho aumentam em Fevereiro na zona euro
11/4/2018


Em termos homólogos, as maiores subidas nas vendas a retalho observaram-se em Malta (11,7%), na Polónia (7,9%) e na Irlanda (7,1%), tendo a Eslovénia (-1,6%) e a Áustria (-1,2%) registado os únicos recuos. O volume das vendas a retalho aumentou, em Fevereiro e em termos homólogos, 1,8% na zona euro e 2,0% na União Europeia (UE), divulgou hoje o Eurostat. Em Portugal, as vendas a retalho subiram, em Fevereiro, 4,0% na comparação homóloga e 1,5% em cadeia.


Fim do corte de 10% no subsídio de desemprego chegou a 42.506 beneficiários
10/4/2018


O fim do corte de 10% no subsídio de desemprego após 180 dias de concessão chegou a 42.506 beneficiários em 2018. Os dados indicam ainda terem sido notificados 12.918 potenciais da medida extraordinária de apoio aos desempregados de longa duração, inscrita no Orçamento do Estado (OE 2018), de redução do período de espera, tendo entre Janeiro e Março de 2018 entrado no total 5471 requerimentos, correspondentes a um aumento de 63,9% face ao trimestre anterior.



Valor médio das reformas antecipadas ao abrigo do novo regime alcançou 806,56 euros
10/4/2018


O valor médio das reformas antecipadas em pagamento ao abrigo do novo regime das longas carreiras contributivas, que permite a pensão sem cortes, alcançou os 806,56 euros. O novo regime entrou em vigor em Outubro e de acordo com os dados mais actualizados divulgados (referentes ao final da semana passada), a Segurança Social aprovou até agora 9.746 pensões de requerentes que reuniam as condições para acesso. Do total das pensões aprovadas, 99% beneficiam do novo regime com pensões mais elevadas e apenas 1% tem cálculo superior ao valor da sua pensão com a aplicação do regime da flexibilização (ou seja, com Factor de Sustentabilidade).


Taxa de desemprego caiu para 7,9% em Janeiro
9/4/2018

Houve uma queda de 0,1 pontos percentuais em relação ao mês anterior. A taxa de desemprego de Janeiro situou-se em 7,9%, uma queda de 0,1 pontos percentuais em relação ao mês anterior e de 2,2 face ao mesmo mês de 2017. A taxa de desemprego deverá cair para 7,8% em Fevereiro, segundo os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O organismo de estatística português prevê que a população desempregada tenha sido de 406,8 mil pessoas e a da população empregada de 4 775,4 mil.


Dívida pública aumentou para 246 mil milhões de euros em Fevereiro
9/4/2018

A dívida pública situou-se em 246 mil milhões de euros em Fevereiro, um aumento de 2,4 mil milhões de euros face ao final de Janeiro. Para este aumento contribuiu essencialmente o acréscimo dos títulos de dívida pública (2,2 mil milhões de euros), refere o banco central. Em Fevereiro, os activos em depósitos das administrações públicas subiram 2,2 mil milhões de euros, pelo que a dívida pública líquida de depósitos registou um aumento de 0,2 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 223,3 mil milhões de euros, segundo a mesma fonte.


Injecções do Fundo de Resolução não ficam por aqui
8/4/2018

Para já são mais €792 milhões, mas este valor deverá subir. Banqueiros voltam a criticar modelo de venda. Na apresentação de contas mais esperada do ano, as do Novo Banco, o prejuízo recorde e o elevado nível de imparidades provaram o que já se esperava: o banco foi vendido mas os riscos continuam a correr por conta do Fundo de Resolução e, por arrasto, do próprio Estado.


Brexit - Instituições financeiras revêm em baixa saída de empregos de Londres.
8/4/2018

A quantidade de empregos financeiros que poderão ser “levados” do Reino Unido para Europa Continental ou que poderão vir a ser criados nos 27 estados-membros em virtude do Brexit caiu para 5.000, metade do previsto há seis meses. Os dados foram colhidos junto de 119 empresas do sector financeiro, o que permite concluir que alguns bancos reduziram as estimativas do número de empregos que precisarão mudar depois de analisarem mais cuidadosamente as operações que precisarão ter no espaço da União Europeia quando o Reino Unido perder o acesso ao mercado único.


Contas públicas. Subida das receitas permite ter excedente de 258 milhões
7/4/2018

A execução em contabilidade pública das Administrações Públicas (AP) registou, até Fevereiro, um excedente global de 258 milhões de euros, o que representa uma melhoria de 231 milhões face ao período homólogo. No mesmo período, o excedente primário ascendeu a 1 999 milhões, tendo aumentado 482 milhões de euros relativamente a 2017. A receita fiscal do subsector Estado, até Fevereiro, cresceu 8,1%, tendo-se ainda observado um crescimento dos reembolsos de 20%, representando mais 230 milhões de euros. Já a receita líquida do IVA aumentou 5,5%, acompanhada pelo crescimento no IRS e IRC e um forte crescimento de 7,6% das contribuições para a Segurança Social.


Estado empresta 5,8 mil milhões para Banif, BES e Novo Banco
7/4/2018

Os bancos portugueses contribuíram com mais de mil milhões de euros para o Fundo de Resolução em cinco anos. Mas o dinheiro colocado pelas instituições financeiras está longe de ser suficiente para assegurar as responsabilidades assumidas com os colapsos do BES, do Banif e com a venda do Novo Banco. E tem sido o Estado a entrar com a maior parte do dinheiro necessário para a entidade que paga os custos com resoluções. O Tesouro assumiu já compromissos de 5800 milhões, entre empréstimos, garantias e linhas de crédito.


Inflação acelera ligeiramente para 0,7% em Março
6/4/2018

A taxa de inflação homóloga aumentou uma décima em Março, para 0,7%. Olhando para a comparação mensal, os preços também aceleraram em Março, com a inflação a atingir 1,9%, corrigindo da queda de 0,7% que tinha sido apurada pelos dados definitivos de Fevereiro. Ainda assim, a média dos últimos 12 meses mantém-se baixa, em 1,2%. Segundo o INE, o índice harmonizado de preços no consumidor em Portugal, indicador que permite a comparação directa com os restantes países da Zona Euro, ficou em 0,8%, uma décima acima do número apurado para Fevereiro.


Brexit: acordo ou pacto de não agressão por 21 meses?
5/4/2018

O acordo firmado entre a União Europeia e o Reino Unido não é bem um acordo: é mais um compasso de espera - até 31 de Dezembro de 2020 - durante o qual os dois lados prometem comporta-se como bons vizinhos. Depois logo se verá - apesar de esse 'depois' ter sido arrancado a ferros: os britânicos pretendiam que o tempo fosse mais amplo, mas a União Europeia (UE) rejeitou essa possibilidade e obrigou à inclusão de uma cláusula que sublinha que o período de transição terá um tempo limitado.


Empresas portuguesas prevêem criar mais emprego
5/4/2018

As empresas prevêem contratar mais trabalhadores já esta Primavera. A previsão é aumentar mais 14% a criação líquida de emprego, subida que segue em linha com o registado no trimestre anterior e ligeiramente melhor do que o registado no trimestre homólogo. No que diz respeito aos sectores de actividade, o que apresenta maior projecção para a criação líquida de emprego é o sector de restauração e hotelaria, com uma previsão de 29%, seguindo-se as áreas dos transportes, logística e comunicações (22%), da agricultura, florestas e pescas (19%), das finanças, seguros, imobiliário e serviços (18%), o sector público (14%) e a indústria (12%).


Carga fiscal subiu para 37% do PIB em 2017
4/4/2018

A carga fiscal aumentou para 37% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano passado, face ao peso de 36,6% que tinha na economia em 2016. O INE destaca os aumentos da receita dos impostos sobre a produção e importação (6,1%), nomeadamente o Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), das contribuições sociais (5,1%) e dos impostos sobre o rendimento e património (3,3%). Assim, foram cobrados 71.446,4 milhões de euros em impostos e contribuições sociais: 19.714,6 milhões em impostos sobre o rendimento e património, 29.028 milhões de euros em impostos sobre a produção e importação e 22.704,2 milhões de euros em contribuições sociais.


Ajudas à banca já custaram 17 mil milhões a contribuintes
4/4/2018

O investimento estatal na CGD, de 3,9 mil milhões de euros, mais os juros que os contribuintes têm de continuar a suportar pelas ajudas prestadas à banca na última década, ascenderam, no ano passado, a 4,5 mil milhões de euros. Isto faz que a factura total dos portugueses com a crise e a estabilização do sistema financeiro ascenda a 17,1 mil milhões (desde 2007), quase 9% do PIB a preços actuais.


Poupança das famílias caiu em 2017, apesar da recuperação no quarto trimestre
3/4/2018

A taxa de poupança das famílias caiu 0,5 pontos percentuais no ano passado, face a 2016, para 5,4% do rendimento disponível bruto, depois de três anos consecutivos de aumento, segundo os dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Esta evolução verifica-se a par de uma desaceleração de 0,7 pontos percentuais do ritmo de crescimento do rendimento disponível, para 3%. Comparando os dois períodos em análise, "a capacidade de financiamento das famílias aumentou para 1,5% do PIB [produto interno bruto], reflectindo sobretudo o crescimento de 20,6% da poupança".


Investimento público aumentou 25% no ano passado
3/4/2018

A despesa das Administrações públicas com investimento foi de 3.415 milhões de euros, em 2017. O valor significa um aumento de 24,9% no investimento público em relação ao ano anterior. Já se sabia que o investimento foi um dos principais factores de crescimento económico em 2017. O montante global (público e privado) subiu 8,4% no conjunto do ano, período em que o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou 2,7%. Os dados publicados mostram que o investimento público registou um aumento superior ao privado.


Parlamento aprova lei que vai regular plataformas como a Uber e a Cabify
2/4/2018

O Parlamento aprovou em votação final global a lei que vai regular a actividade das plataformas electrónicas de transporte de passageiros em viaturas ligeiras descaracterizadas. O diploma que vai regulamentar as plataformas electrónicas como a Uber, a Cabify e a Taxify prevê, entre outras medidas, a obrigatoriedade de um curso de formação para os motoristas, cuja carga horária será definida por portaria do Governo. Inclui novas licenças a atribuir aos parceiros e plataformas e obriga todos os motoristas a terem um contrato de trabalho com as empresas parceiras.


Peso das PPP nacionais no PIB é de 10,8%, o maior da União Europeia
2/4/2018

Portugal é o país com maior carga de parcerias público-privadas, cinco vezes mais do que a média europeia. A despesa global está calculada em 20 mil milhões de euros, e ainda falta pagar dois terços do que foi contratado. Os compromissos assumidos junto dos privados equivalem a 10,8% do produto interno bruto nacional (PIB a preços de 2017). Que terão de ser pagos até 2042. Ao todo, são 43 parcerias. Os encargos com as PPP são pagos, todos os anos, através do Orçamento do Estado (OE) e assumem a forma de consumos intermédios ou prestações sociais (no caso dos hospitais). Em 2018, a factura é de quase 1,7 mil milhões de euros, prevê o governo no Orçamento.


Portugal arrisca perder 15% dos fundos comunitários
1/4/2018


Em causa está um corte na ordem dos €4 mil milhões no próximo quadro comunitário 2021. O Portugal 2030 vai ter menos dinheiro do que o Portugal 2020 para apoiar desenvolvimento das regiões portuguesas. O próximo quadro comunitário para 2021-2027 arrisca mesmo perder 15% do envelope financeiro a que o país teve direito no actual quadro comunitário para 2014-2020 ao abrigo das tradicionais política de coesão e política agrícola comum (PAC) da União Europeia (UE).


Banca quer passar mil milhões para plataforma do malparado
1/4/2018

A Caixa Geral de Depósitos (CGD), Novo Banco e BCP já têm a lista de processos que querem ver tratados na plataforma de gestão de malparado. O total dos chamados Non Performing Loan (NPL), crédito em incumprimento, ascende a mil milhões de euros. A plataforma do malparado da banca portuguesa não pode, no arranque, contactar clientes, pelo que os bancos estão agora a fazer esse trabalho numa lista de processos de NPL que superam “ligeiramente” os mil milhões de euros, cujos montantes estão distribuídos “quase equitativamente” pela CGD, Novo Banco e BCP.


Excedente na balança comercial da zona euro recua em 2017
29/3/2018

O excedente no comércio internacional de bens da zona euro recuou, em 2017, para os 236,0 mil milhões de euros, face aos 265,3 mil milhões registados no ano anterior. As exportações, no acumulado do ano de 2017, aumentaram para os 2.194,0 mil milhões de euros (mais 7,1% face a 2016) e as importações subiram 9,8% de 2016 para 2017, saldando-se em 1.958,0 mil milhões de euros. Na União Europeia (UE), o excedente da balança comercial externa de bens diminuiu para os 22,9 mil milhões de euros, em 2017, quando comparado com os 32,1 mil milhões de euros do ano anterior. As exportações estabeleceram-se no 1.878,8 mil milhões de euros, mais 7,7% do que no ano anterior, e as importações aumentaram, em termos homólogos 8,6% para os 1.855,9 mil milhões de euros.


notícias anteriores